Produtos de beleza: o que está liberado e o que é vetado durante a lactação

AmamentarMinha troca de ideias com outras mães tem sido intensa nos últimos tempos. Durante a gestação do João Pedro eu já compartilhei aqui algumas questões sobre a gravidez e a pele e hoje venho falar de um outro tema que muitas pacientes também questionam: a amamentação X tratamentos dermatológicos.

Se durante a gravidez já existe uma clareza maior sobre os cuidados especiais que a fase exige, em relação à lactação, as dúvidas são bem maiores. Posso tocar a vida normal e seguir com meus hábitos e cuidados estéticos ou a fase ainda é especial?

Sim, a fase ainda é especial. É uma nova fase, diferente da anterior, mas que também exige atenção. Mas, em absoluto, isso quer dizer que os cuidados estéticos estejam vetados.

Na fase da amamentação, os maiores riscos são de intoxicação do leite materno oferecido ao bebê. Algumas substâncias são definitivamente vetadas nessa fase. Outras, devem ser usadas com moderação, sob supervisão médica.

Vejamos algumas:

Amônia: é um produto químico muito utilizado em tinturas para cabelo. Como NÃO há estudos conclusivos descartando os seus riscos para a lactente, o que se recomenda é o uso com muita moderação. Melhor optar por tinturas ISENTAS dessa substância, não é mesmo?

Formol: a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) PROÍBE o uso dessa substância em alisamentos de cabelo. Mas, mesmo assim, há quem insista nisso. No caso de mulheres que amamentam, o risco de intoxicação é grande. Passe longe disso.

Hidroquinona: é uma das substâncias presentes em diversos medicamentos tópicos para clarear manchas. Essa substância até pode ser utilizada por uma mulher que esteja amamentando, mas sob estrita supervisão médica, de forma bastante moderada. Além disso, existem outras alternativas para o tratamento de manchas e o dermatologista saberá ponderar a indicação mais segura para cada caso.

Toxina botulínica: essa substância é administrada em nível intramuscular e, por isso, NÃO entra na circulação sistémica, sendo seguro o seu uso por lactentes. Mas é importante lembrar que tratamentos estéticos com toxina botulínica devem ser realizados somente por dermatologistas, que têm total preparo e domínio para procedimento a ser realizado.